sexta-feira, 28 de novembro de 2008

A INTERNACIONALIZAÇÃO DA AMAZÔNIA JÁ ESTÁ ACONTECENDO !

A “internacionalização” da Amazônia já ocorre, uma vez que grande parte das mais importantes atividades econômicas no Estado está voltada para interesses externos - a exportação de madeira, soja e carne para países que não querem arcar com os custos socioambientais dessas atividades (que são pesados); a exportação de ferro-gusa e alumínio, que têm altíssimo custo ambiental e energético (em grande parte subsidiado e transferido para a conta de toda a sociedade brasileira); a Zona Franca para empresas de outros países; o comércio de minérios.
A análise é do jornalista Washington Novaes em artigo intitulado 'A visão da sociedade e o futuro amazônicono' jornal O Estado de S.Paulo, 28-11-2008.
Eis o artigo.
Por onde se caminhará na Amazônia para evitar que o bioma chegue ao desmatamento em 50% de sua área e perca a capacidade de se regenerar, como advertiu o cientista Gilvan Sampaio, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, e Herton Escobar relatou neste jornal (21/11)? Vários fóruns em Manaus discutiram esse tema nas últimas semanas. E um sumário das discussões permitiria enfatizar muitos pontos:
O Brasil não tem estratégia para a Amazônia. Não há recursos para implantar o cadastro fundiário (só 4% das terras são registradas), monitorar o território, fiscalizá-lo e impedir o desmatamento ilegal: o Ministério do Meio Ambiente só tem cerca de 0,5% do Orçamento federal.
Não há “transversalidade” na política federal, cada Ministério cuida de seus interesses específicos - enquanto isso, já há ali mais de 70 milhões de cabeças de gado e cerca de 20% do bioma foi desmatado para a expansão agropecuária e extração ilegal de madeira (mais de 150 mil km2 só de 2000 para cá).
“Reserva legal” em cada propriedade é apenas ficção. Os gastos federais no bioma não passam de 4,05% do total, enquanto a população amazônica supera 12% da população brasileira. A região continua a ser receptora de mão-de-obra desempregada em outras partes.
Continuam sem resposta as objeções de cientistas à lei que permite concessão de terras públicas para “manejo” por empresas (países que entraram por esse caminho perderam suas florestas).
Seria possível destacar muito mais pontos, mas não é necessário, o tema tem sido muito tratado. Talvez seja interessante salientar algumas discussões por outros ângulos, que ocorreram durante o recente Simpósio de Cultura e Natureza na Amazônia, parte do Festival Literário Internacional da Floresta, na parte que tratou especificamente de “desenvolvimento e natureza na Amazônia”.
Era inevitável que se falasse ali do tema da “ameaça de internacionalização da Amazônia”. Vários conferencistas lembraram, entretanto, que de certa forma essa “internacionalização” já ocorre, uma vez que grande parte das mais importantes atividades econômicas no Estado está voltada para interesses externos - a exportação de madeira, soja e carne para países que não querem arcar com os custos socioambientais dessas atividades (que são pesados); a exportação de ferro-gusa e alumínio, que têm altíssimo custo ambiental e energético (em grande parte subsidiado e transferido para a conta de toda a sociedade brasileira); a Zona Franca para empresas de outros países; o comércio de minérios - para só citar alguns.
Pode ser interessante, entretanto, colocar o foco sobre a questão da falta de uma “identidade amazônica” (decisiva durante séculos para a conservação da floresta), que dificulta a formulação de uma estratégia competente e necessária. Vale a pena começar, aí, por uma intervenção do sociólogo e poeta João de Jesus Paes Loureiro, autor de vários livros sobre a realidade cultural amazônica, para quem “o imaginário popular é uma visão de progresso social”, com sua “crença em vidas possíveis”.
“O caboclo”, diz ele, “é um viajante imóvel: busca conhecimento, significado, na profundidade, não na distância” - mas só é visto como pitoresco, folclorizante. E essa “lacuna de interpretação leva ao risco de perda desse tesouro da cultura amazônica”. De fato, como chegar a uma estratégia amazônica que não passe pela visão popular, social? O professor Narciso Lobo trafegou pela mesma senda: “Precisamos nos inventar mais uma vez.” Com a dificuldade trazida pelas visões tecnológicas, que “encobrem a realidade”.
Já o escritor Márcio Souza (Mad Maria e Galvez, Imperador do Acre, entre outros livros) enfatizou que “não construímos o relato do passado” - um passado muito rico, já que a Amazônia, antes dos muitos massacres pelos colonizadores que sofreu, era povoada por milhões de indivíduos, a começar pelos índios. “Se jogarmos uma agulha para o alto” - o escritor citou o historiador João Daniel, do século 17 - “ela cairá na cabeça de um índio.” Mas onde está o relato desse tempo, dessa vivência, de sua resistência à ocupação, dos caminhos pelos quais influenciou a possível identidade amazônica e a preservação da floresta? Como “aprender com essa cultura a não destruir o meio ambiente?” Sem essa cultura não haverá Amazônia, afirma o escritor. Só restará folclore, que é “o que resta da cultura popular depois que a polícia passa”.
Certamente por causa da ausência dessa cultura, continua-se a falar em “desbravar a floresta”, observou o ex-secretário de Meio Ambiente da Amazônia Virgílio Viana. E a conceder crédito público a quem desmata uma floresta que existe há pelo menos 1.500 anos, como lembrou o professor Niro Higuchi, do Instituto de Pesquisas da Amazônia (Inpa), ao tratar dos riscos que o desmatamento da Amazônia traz para a área do clima, se liberar o imenso volume de carbono seqüestrado pelas árvores.
Pode-se concluir com o raciocínio do professor Charles R. Clement, também do Inpa, em texto inédito: “Manter a floresta em pé e garantir crescimento sustentável é uma equação que nós, Homo sapiens agricola, não sabemos decifrar. Isso nunca foi necessário ao longo da expansão de nossa subespécie. Não evoluímos para isto. (...) Chegamos ao século XXI convencidos de que podemos tudo.” Mas, “se continuarmos a ser apenas modernos, não temos futuro. A solução não é ser pós-moderno. (...) O futuro da Amazônia e da nossa espécie depende de uma evolução sociocultural nova: a transformação de Homo sapiens agricola em Homo sapiens sustentabilis, em menos de uma década” (o tempo que a ciência nos dá para enfrentar as mudanças climáticas e o consumo insustentável).
É um desafio imenso, que não se resolverá na Amazônia sem incorporar a visão da sociedade, e não apenas a visão econômica e tecnológica.

40 comentários:

pah frança disse...

a internacionalização da Amazônia é um absurdo. Ela pertence a nos e não aos outros países. O governo brasieliro tem q tomar alguma medida para evitar que países estrangeiros tomem o que é nosso.

Anônimo disse...

Muito Bom, gostei de ver que existem pessoas preocupadas com a Amazônia...Este assunto de internacionalização da mesma é algo importantissimo,que está sendo cobrado nos vestibulares. Coisa que nós brasileiros devemos nos preocupar...

Valeu!!!

(= Joana e Kennia =) disse...

a internacionalização da Amazônia é um abuso de poder dos países desenvolvidos, pois eles acham que são os donos da Amazônia.Chegam aqui como protetores e acabam tomando conta e explorando o NOSSO maior bem. A Amazônia pertence ao territorio brasileiro, portanto não devemos deixar esses países acabarem com o patrimônio brasileiro =D

Thales disse...

O texto sobre a internacionalização mostra o que esta acontecendo na amazônia,onde esses paises como EUA, FRANÇA,não nos considera donos.

Anônimo disse...

O texto sobre a internacionalização da Amazônia está no alge de críticas relacionadas a interesses externos!A Amazônia é vítima de vários desmatamentos devido o grande manejo da agropecuária que é preciso abrir uma vasta região na floresta, a industrialização da região, pontos estes que estão ligados muito mais com o comércio externo do que o interno sem se dar conta do mal que faz a Amazônia.
Tema polêmico,para pessoas que fazem vestibular esse ano, e que provavelmente pode ser temas de redações.

João Henrique 3ºVB EXATAS II

Anônimo disse...

Essa questão da intercionalização da Amazônia tem sido um tema bastante polêmico nos principais meios de informação do mundo.
O fato é que o Brasil é muito grande, a amazonia é uma vasta extensão territorial de dificil controle ambiental, por se tratar de um sistema precário de fiscalização do governo, e de poucas medidas adotadas no senado para mudar essa situação , visando que muitas ong's aqui implantadas são motivo para nos " abrirmos os olhos " com as diversas potencias economicas interessadas nesta deslumbrante extensão territorial.


Diogo Souza Machado . 3° VB EXATAS II

Gustavo Coelho Fontana disse...

O texto retrata meramente o que está acontencendo em nosso país.
A Amazônia, por possuir várias riquezas está sendo disputadas por vários países, inclusive algumas potencias, como os EUA, Japão, Inglaterra, entre outros.
Parabéns pelo artigo postado.

abraço.
Gustavo Coelho Fontana
3º Ex²

FILIPE FARDIN disse...

Bom a Internacionalização da Amazonia é um ato de "BURRICE", pois vendendo uma área que é de nossa pátria para (pessoas,"empresas"), estrangeiras só vai acarretar em desmatamentos e etc.. por isso que nós temos que cuidar do que é nosso....

Filipe Fardin

Anônimo disse...

Realmente um tema polêmico envolvendo a nossa riqueza nacional. Otima postagem, meus parabéns pelo seu blog.

Thomas Turbano

CAMILA, FILIPE, ÉRICK, MIKELLY,MIKAELLA 3ºEX2 disse...

ESSA REPORTAGEM RETRATA UM ASSUNTO MUITO IMPORTANTE E POLÊMICO.POIS AMAZONIA FAZ PARTE DO PATRIMÔNIO BRASILEIRO E ISSO ESTA A PONTO DE SER RETIRADO DE NÓS, POR ORGAANIZAÇÕS INTERNACIONAIS.NAO PODEMOS PERMITIR QUE ISSO ACONTEÇA.

EMILIO GUIZARDI - FILIPE PINHEIRO disse...

RETRATA UM ASSUNTO COM MUITO A SE INTERESSAR, POIS TRATA DE UM PATRIMONIO QUE E DE TODO BRASILEIRO. E MUITOS OUTROS PAISES BUSCAM RETIRAR-NOS O QUEE DE DIREITO. TUDO ISSO POR NAO CONSEGUIREM MANTER SEUS RECURSOS DE UM MEIO ARMONICO.

SAULO PONTES - 3ºVC disse...

O texto nos mostra um dos problemas que está sendo muito discutido pela mídia, que é a internacionalização da Amazônia.Os países como EUA, França e etc, acham que aquele território do Brasil é muito precioso para ficar nas mãos dos brasilieros, pois a Amazônia é considera o pulmão do mundo. Até um certo ponto eles estão absolutamente corretos, por quê o Brasil não tem tanta tecnologia para exploraçao da Amazônia, mas em via das duvidas é um patrimônio do Brasil, que os brasileiros de forma alguma deve abrir mão e estar sempre lutando para que nenhum estranho ponha as mãos em nossos tesouros.

Leonardo Baptista 3VC ex² disse...

A "intercionalizaçao" da amazônia além de trazer prejuízos econômicos para o país,trará grandes problemas de saúde uma vez que considerado o pulmão do mundo, a intercionalizaçao da amazônia levaria o território brasileiro a perder 50% de seu Bioma,porém,é muito difícil a fiscalização do território pois o Brasil possui um vasto território,portanto,é necessário que cada pessoa contribua de forma a ajudar o o ministério do meio ambiente para que não percamos a nossa maior riqueza natural.

Bruna disse...

A Amazônia não deve ser dividida com outros países. Ao contrário, devem ser tomadas todas as providencias pelo governo do Brasil, que ja age.
O nosso país utiliza de fvontes alternativas para ameninzar o problema do aquecimento global, mesmo que nós não estejamos enquadrados nos países que ajudaram na poluição, por sermos de industrialização tardia aos outros.
Fazemos e faremos o possivel pra manter a amazonia bem.

carolina cortez pinheiro disse...

A internacionalização da Amazonia,parecia ser apenas uma ideologia de países desenvolvidos com ausencia de recursos naturais e motivos,atraves da omissão brasileira na região,para a tomada da rica floresta.No entanto,nós brasileiros,sem pereceber temos nossa floresta amazonica intercionalizada a cada desmatamento,pratica de biopirataria e contrabando tanto de vegetais quanto de animas.

nara disse...

A internacionalização da Amazônia é algo que constantemente se torna alvo de programas de TV e/ou de campanhas políticas em período de eleições presidenciais. Os discursos do ministro do meio ambiente e dos órgãos responsáveis pela integridade da Amazônia são "lindos", mas infelizmente não são postos em prática, e essa reportagem, muito bem ilustrada com o mapa, é a comprovação do que hoje nós vivemos.

Daniel Valdino Altoé disse...

blysibruA internacionalização da Amazônia será um ato de extrema "burrice", pois ela é um patrimônio brasileiro, apesar de ser a maior floresta do mundo e, consequentemente, a mior fonte captalizadora de CO2. O único interesse dos estrangeiros na Amazônia é a riqueza que ela contém, eles querem obter o controle para explorar.
Devemos nos impor e mostrar que somos mais do que capazes de cuidar dela sozinhos.

Profv EUA disse...

Será que venderemos a Amazonia sem nada em conta? É entregar o ouro aos bandidos....
Profv EUA

rodrigo jordao!!! disse...

a reportagem sobre a amazonia, nos faz remeter a uma grande realidade existente em nosso paìs. a falta de respeito de alguns brasileiros em aspectos a poluiçao, desmatamentos e outros que destroem nosso patrimonio nacional, isso faz com que outros paises interessados se engrandeçam como o EUA... mas isso vai mudar!!!

Valerio/ 3 HUMANAS disse...

Sobre a internacionalização da amazonia, muito se fala e realmente parece que apesar de ser um perigo constante, está longe de ser uma realidade. A reportagem mostra o quanto a floresta esta ameaçada internamente, pelos próprios proprietarios rurais brasileiros que insistem em pensar de forma não sustentavel, buscando apenas lucro.
A identidade amazonica realmente ainda não foi verdadeiramente descoberta pelos brasileiros, porque além de ser um bioma riquissimo, a floresta guarda a maior parte do conhecimento cultural que forma a vedadeira identidade brasileira.

Nicholas Tawan Mansur disse...

O Maior erro do brasileiro é pensar o que tem que ser pensado e fazer o quem tem que ser feito na ultima hora. E as vezes é tarde demais para pensar e fazer.

A amazônia está sendo destruida e outros países estão de olho nela. Muitos já estão explorando-a. Qual quer um presidente de qualquer país sabe que o mundo a cada dia que passa falta água e Vegetação. E a "NOSSA" mata no já é um grande tesouro no presente e será ainda mais no futuro.

Espero que O Brasil não acorde tarde para o tema: "A INTERNACIONALIZAÇÃO DA AMAZÔNIA JÁ ESTÁ ACONTECENDO !".

Parabéns Professor Mário pelo assunto abordado.

gabriela belkan disse...

A Amazonia é o nosso maior BEM, é o nossso grande tesouro,por isso não podemos deixar que roubem esse tesouro.......
parabéns Mário por ter feito eese trabalho de conscinetização,de alerta.......
muito obrigada por nos dar essa informação.....
um fim de ano com muito paz
valeu

lourenço altoé gomes disse...

conseguimos perceber com esta materia que os paises denvolvidos estão se beneficiando com a amazônia não se importando com as questões ambientais.

Lorrayne Macedo disse...

A Amazonia é um patrimonio brasileiro, que deve ser cuidado, e cabe ao governo preservar nosso maior bem =]esse assunto esta no alge de críticas relacionadas a interesses externos e nós, brasileiros, temos que ter a consciencia que a AMAZONIA É NOSSA



FALOW MARIO ;)

Caroline Roppe disse...

Realmente as autoridades governamentais têm dado muita liberdade a outros países para explorar as riquezas da Amazônia.
Cabe a nós, povo brasileiro defender o nosso patrimônio, exigindo do governo maior imposição diante dos demais países para que não percamos um grande tesouro natural.

Larissa Gomes disse...

partindo da ideia de muitos brasileiros que tudo que vem de fora é melhor é meio contraditorio essa manifestaçaõ de ''não a internacionalização'' é percebivel que o governo ve isso como um interese já que de forma indireta vem contribuindo para a pré-internacionalização que esta ocorrendo.

Paulo ricardo disse...

Numa região como a Amazônica em que a fiscalização para evitar desmatamentos e posses ilegais de terra não vem sendo bem feitas por autoridades brasileiras,precisamos ter controle sobre uma área que almeja desejos de muitos países desenvolvidos e que deve ter um grande espaço para a economia interna brasileira

Ana Bárbara disse...

É ridiculo o que nós cidadãos fazemos, reclamamos sempre das catátrofes que ocorrem na Amazonia mas nunca fazemos nada para mudar. Acho legal mostrar através do blog o que realmente está acontecendo, eu tenho certeza que isso toca no coração de muitas pessoas e sei ainda que através desse tipo de atitude que um dia o nosso país será um nação mais próspera.

Carina Gomes disse...

A Amazônia precissa de ser melhor protegida, não deve ser vendida nem doada tem que ser cuidada pelos brasileiros.

Gabriel Matos disse...

O Brasil está perdendo um dos seu maiores bens, que é a Amazônia. Um dos fatores é o descaso das autoridades brasileiras diante disto, por isso muitos paises propõem uma possível internacionalização da amazônia o que seria uma coisa horrível, pois perderíamos nossa identidade. Portanto devemos cuidar daquilo que é nosso para que não haja possíveis intervenções.

Camila Domingos disse...

Estamos acostumados a fazer redações e discutir sobre a Amazônia ,seu futuro e sua internacionalização,mas a realidade ,infelizmente triste, é que a Amazônia não terá nem se quer um futuro se a situação seguir como no ritimo atual. A Amazônia já está sendo usada para interesses internacionais e as conseqüências só provocam o agravamento da mesma, que está sendo desmatada cada vez mais, o que influencia no clima, vegetação,agrava a poluição e uma série de problemas que dificilmente poderão ser concertadas no futuro.Estamos perdendo um dos maiores bens do Brasil e ninguém se move,a única movimentação que é feita é para a exploração da mesma.As leis de proteção ambiental não saem do papel, são apenas "Leis para os inglêses verem" e ninguém faz nada, se o governo não se impor e o povo não cobrar a intervenção do governo a Amazônia tem os seus dias contados.

Ellen disse...

É inaceitavel que percamos o que ainda sobra da amazonia que já é perdida a cada dia pelo trafico de madeiras, animais. E é claro que se nós ñ cuidamos alguém vai se disponibilizar a cuidar de uma riqueza cm essa. O problema é que o povo brasileiro ainda ñ se tocou disse e o governo finge ñ saber e ñ toma iniciativa de nada. Porque ñ fazer leis + rigidas para punir essas pessoas que fazem dinehiro da mata, porque ñ fazer cm que os orgãos responsaveis pelo cuidado da mata ñ recebam tanta propina para fingir q ñ sabem qm são os empresarios que estão lucrando cm isso, e pq ñ colocar o exercito que só tem gastos para ver se eles trabalham um pouco e utilizam tantos anos de treinamento lá cuidado do tesouro da herança brasileira. Se nada for feito é facil intender o porque da internacionalização. Quem ñ cuida do que é seu esta sujeito a perde para qm faz bom uso das coias.

Camila Domignos disse...

Dificil é imaginar o Brasil no futuro quando o Aquecimento Global estiver revelando sua verdadeira face, assustando e aterrorizando toda a huminade em todos os lugares do mundo.Aqui no Brasil, um dos lugares que mais serão afetados é o Nordeste.Hoje, a situação já não é falcil,a seca e o clima são garndes problemas ainda não resolvidos que no futuro ficarão piores ainda.Estados como Pernambuco terão sua tempratura aumentada para 4ºC. a situção ficará tão insuportavel que causará uma série de migraçõe para Regiões não muito afetadas ainda.As condição de vidas precárias se tornarão piores, as chaces de viver em um lugar como este será pequena e isso nos mostra que a realidade brasileira será dificil daqui alguns anos, mais dificil do que ja é.O que podemos fazer é retardar o aqeucimento global, mas como sempre os projetos de resolução só começam se movimentar depopis do estrago.Espero que o Brasil,governates e cidadãos, se movam a favor do retardamento do aquecimento global, isso será para o nosso próprio bem.

Matheus bresinski disse...

A internacionalização da amazônia,não e ruim mas tambem não e bom pois o brasil nao está tendo capacidade de combater o desmatamento da amazônia,que está preocupando os paises que estão com o aquecimento global em questão.

Ellen Smarzaro disse...

Por ser um tema polêmico a internacionalização da Amazônia gera controvérsias. Pouco se sabe se tal atitude trará benefícios não somente para a área florestal em si, mas também para o páis que possui maior parte do território amazônico, o Brasil.
Sou favorável à opinião de Cristóvão Buarque, que diz que se for nacionalizar a Amazônia, também então nacionalizemos museus e grandes construções, representantes importantes da história da humanidade.

Ellen Smarzaro - Ex.¹

xanxis disse...

A Amazônia não deve ser dividida com outros países.Porém a amazônia está sendo destruida e outros países estão de olho nela.Temos que ter cuidado e ser mais responsaveis.

Jessica Mathielo disse...

A Amazonia eh nossa!! Eh inadimissivel que a populaçao brasileira aceite esse roubo de propriedade privada, sim pq trata-se de um patrimonio extritamente brasileiro, patrimonio esse que o povo deve valoprizar. Somos proprietarios de uma riqueza natural exuberante e devemos valoriza-la. Eh preciso que haja mais fiscalizaçao,pq perdemos um pedaço desse verde, que eh internacionalizado a cada desmatamento.

Amanda De Angelii disse...

a internacionalização da amazonia, é um absurdo, pois compromete a soberania do nosso país.
Garantir o crescimento da floresta e uma necessidade,pois este bioma não pode ser comprometido com ações de países que se acham superiores. Logo,o Brasil deve fiscalizar de maneira mais efetiva essas areas atingidas.

Luiz Felipe disse...

A internacionalização da Amazônia, diga-se de passagem, é um acontecimento negativo em nosso país, que mostra como estamos perdendo espaço para outros países.
Dentro desses aspectos temos que nos empor, desde dos simples civis até os sérios e "compostos" governantes.

Mário,
Feliz Natal e um excelente ano novo ;) tudo de bom em 2009 :D

Thiago disse...

OS EUA JÁ DESMATARAM SUAS FLORESTAS, CONTROLAM O MUNDO DE QUALQUER JEITO, SEJA COM O MONOPÓLIO DA ECONOMIA OU COM A FORÇA, ESSA É A HORA DE MUDAR, SERÁ NECESSÁRIO BUSCAR A SEGUNDA INDEPENDÊNCIA? ANTES ERA PORTUGAL AGORA OS EUA?, SE HÁ ALGO QUE ELES QUEREM NA AMAZÔNIA, SÓ PODE SER A MADEIRA, A ÁGUA, E TALVEZ UMA IMENSIDÃO DE PETRÓLEO QUE PODE OU NÃO EXISTIR NAQUELA TERRA QUE COMPÕE O BRASIL. OS CUBANOS, NORTE-COREANOS E ÁRABES NÃO SÃO BRASILEIROS. ENTÃO DEIXE-NOS EM PAZ EUA.